Lula e Alckmin dedicam programa aos pobres

O presidente e candidato à reeleição pelo PT, Luiz Inácio Lula da Silva, e o candidato à Presidência pelo PSDB, Geraldo Alckmin, dedicaram a propaganda eleitoral gratuita da noite desta segunda-feira aos mais pobres. Enquanto o programa de Lula mencionou que brasileiros que antes mal se alimentavam, hoje fazem três refeições por dia, Alckmin afirmou que fará o que "sempre" fez: governar para os menos favorecidos. Os ataques do tucano ficaram para o fim do horário eleitoral, enquanto o petista evitou as agressões.Lula fez comparações entre o atual governo e o anterior, mas sem citar nomes. O locutor da propaganda afirmou que brasileiros que antes viviam na escuridão, hoje têm luz em casa, que antes encontravam portas fechadas, hoje têm um emprego. "O mais importante agora é que a gente discuta o futuro, e o futuro para mim começa com duas palavras: emprego e educação", disse Lula. De acordo com ele, os resultados mostram que o País está no rumo certo, pois "a pobreza caiu e a educação melhorou". Com uma roupagem diferente - Alckmin pôs um samba de breque no lugar da música anterior -, a publicidade tucana destacou os 30 anos de experiência pública do candidato da Coligação Por um Brasil Decente (PSDB-PFL). Ao "governar para os pobres", Alckmin prometeu, se eleito, começar a pôr para funcionar direito o que já existe, como mais médicos, enfermeiros, demais profissionais da saúde e remédios nos hospitais. O tucano comprometeu-se a levar medicamentos gratuitos para todo o País.O ex-governador de São Paulo disse também que, caso vença, vai baratear as passagens de ônibus, reduzindo impostos do setor, e diminuir o Imposto de Renda. "O imposto vai baixar, pode escrever", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.