Lula e Alckmin empatam em disputa no TSE

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve uma derrota e uma vitória no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na quinta-feira. O ministro do TSE Marcelo Ribeiro recusou-se a suspender propagandas do candidato tucano, Geraldo Alckmin, que ridicularizavam o presidente, segundo os advogados de Lula.Em outra decisão, Ribeiro concedeu uma liminar proibindo a reapresentação de propaganda veiculada no rádio em que um locutor advertia: "Se o Lula for eleito de novo, a turma dele vai voltar".No primeiro despacho, o ministro analisou uma representação em que a defesa de Lula sustentava que inserções do candidato tucano usaram recursos proibidos pela legislação eleitoral como trucagem e montagem com o objetivo de ridicularizar Lula. Ribeiro discordou dos argumentos e afirmou que a propaganda apenas transmitiu uma crítica ao candidato, reproduzindo informações veiculadas nos meios de comunicação.Os programas de Alckmin relacionavam pessoas que foram ou são auxiliares de Lula e que estariam sendo acusadas de envolvimento com corrupção. Ao final, era feita a seguinte afirmação: "E Lula não sabia de nada? Lula não merece o seu voto."Na outra decisão, o ministro mandou suspender uma propaganda de Alckmin no rádio em que locutores faziam uma advertência: "A turma dele (Lula) vai voltar".O trecho da propaganda afirmava também: "Nós somos a turma do Lula. A gente vive a negar o mensalão, caixa dois, os sanguessugas, a gente está tentando escapar. Nós somos a turma do Lula. Bobeira foi nos cassar (Ah, se foi). Se o Lula for eleito de novo, a turma dele vai voltar. Nem a pau! Mude de presidente".

Agencia Estado,

08 de setembro de 2006 | 17h59

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõeseleições 2006

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.