Lula e Cabral inauguram novo trem e obras do metrô no Rio

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o governador Sérgio Cabral (PMDB) inauguraram na manhã desta quarta-feira, 11, um novo trem de um lote de 20 importados da Coréia do Sul para o sistema ferroviário do Rio. Eles fizeram de trem o percurso entre a estação Maracanã, na zona norte do Rio, e a estação Central do Brasil, no centro, ambos com bonés da concessionária Supervia. O presidente e o governador participaram de cerimônia de formatura de jovens voluntários que irão trabalhar nos Jogos Pan-Americanos realizada no estádio Mário Filho (Maracanã) e desembarcaram na estação Central, onde pegaram o metrô para a zona sul do Rio, para dar a partida nas obras para a estação do metrô de Ipanema, na praça General Osório. A comitiva do presidente e do governador foi aplaudida por várias pessoas na Central, mas também passou pelo constrangimento de ver o protesto do Sindicato dos Metroviários contra a demissão de trabalhadores nos trens e no metrô, e de ver várias faixas agradecendo à ex-governadora do Rio, Rosinha Garotinho, pela compra dos trens novos. Lula chegou a se dirigir ao protesto dos trabalhadores, mas muito rapidamente, seguindo depois na direção de embarque do metrô. Os metroviários fizeram uma carta ao presidente Lula dizendo que a empresa privada que opera o metrô no Rio, a Opportrans, fez mais de 250 demissões desde abril de 2006 até agora. Obras do Metrô Após a inauguração do trem, Lula e Cabral também acionaram um mecanismo que fez a primeira explosão para abrir o túnel do metrô entre a estação Cantagalo e a futura estação na praça General Osório, em Ipanema. A cerimônia foi realizada na estação Cantagalo, no bairro de Copacabana. Após a explosão, Lula conversou com o presidente do BNDES Demian Fiocca, longe dos repórteres. Nenhum dos dois deu entrevista. O BNDES está financiando as obras do metrô. O governador Sérgio Cabral disse em entrevista que essa foi a primeira vez que um presidente da República andou de trem e de metrô na história do Brasil. De acordo com Cabral, o presidente é um entusiasta do transporte de massa e quer apoiar a implantação de mais trens e metrôs no Rio de Janeiro. Ao sair da estação, mais uma vez, Lula e Cabral se defrontaram com faixas agradecendo a ex-governadora Rosinha Garotinho, adversária política deles, pelos investimentos nos trens.

Agencia Estado,

11 Abril 2007 | 13h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.