Lula fala sobre morte dos fiscais à imprensa internacional

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a comentar a morte dos fiscais do Ministério do Trabalho, que há dois dias foram assassinados em Goiás enquanto fiscalizavam a existência de trabalho escravo. Em uma conferência de imprensa para jornalistas de todo o mundo, Lula deixou claro: "estamos no século XXI e não é possível que alguém mate alguém para defender trabalho escravo". Segundo Lula, os fiscais estavam na região apenas para cumprir a lei brasileira. "É proibido ter trabalho escravo no Brasil. Aescravidão acabou no Brasil no dia 13 de maio de 1888", afirmou o presidente, que está em Genebra participando de reuniõescom empresários. Lula chegou a falar por telefone com o vice-presidente, José Alencar, sobre o assunto e garantiu que a Polícia Federal e ogoverno "fariam o possível não apenas para colocar na cadeia quem matou, mas também para saber se existe um mandante".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.