Lula faz apelo a seqüestradores de Celso Daniel

O provável candidato do PT àPresidência Luiz Inácio Lula da Silva fez hoje um apelo público aos seqüestradores do prefeito de Santo André, Celso Daniel, para que libertem o petista. "Ele não tem dinheiro, sótem caráter", observou. Lula fez a afirmação no fim da tarde, logo depois de receber um telefonema do presidente FernandoHenrique Cardoso, para quem o seqüestro pode não ter soluçãorápida, pois parece executado por profissionais.O presidente de honra do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, considerou um gesto importante o telefonema que o presidente Fernando Henrique Cardoso fez a ele, no meio da tarde. Segundo Lula, Fernando Henrique ligou para prestar solidariedade à família do prefeito de Santo André, Celso Daniel, e ao próprio Lula, muito amigo do prefeito. Ele disse ao pré-candidato do PT que está colocando a Polícia Federal e o ministro da Justiça, Aloysio Nunes Ferreira, à disposição no caso."Acho que foi um gesto importante do Fernando Henrique Cardoso e espero que seja seguido pelo governador Geraldo Alckmin", disse Lula. "A disposição do presidente é um alento para que a sociedade perceba como o Celso éimportante", comentou Lula, que decidiu reforçar sua segurançapessoal. "Não podemos mais achar que Deus toma conta", disse.O pré-candidato do PT também apelou para que o governadorGeraldo Alckmin trate do caso "como se fosse a questão maisimportante de sua vida". "Se essa moda pega, estamosperdidos", afirmou.Lula desconfia que a motivação do seqüestro sejapolítica. "É muito difícil pegarem um prefeito sem saber quemele é", afirmou o presidenciável. A cúpula do PT reuniu-sehoje à tarde no gabinete do prefeito e decidiu convocar paraamanhã uma manifestação pela paz, às 16 horas, no Paço Municipalde Santo André.Celso Daniel é coordenador do programa de governo deLula. No próximo dia 28 ele tem um encontro marcado com opresidenciável, no Instituto Cidadania, em São Paulo. "Vejam sóque ironia: eu fiquei de entregar ao Celso o projeto desegurança pública para o País e até comentei isso com FernandoHenrique", contou Lula. "Disse ao presidente que nossaspropostas podem ser usadas por qualquer governo, não cobramosdireito autoral."Reunião de emergência - Às 21 horas, os prefeitos do PT, deputados estaduais e o senador Eduardo Suplicy se reúnem com o governador Geraldo Alckmin e o ministro da Justiça, Aloizio Nunes Ferreira, no Palácio dos Bandeirantes. Lula, que não vai ao encontro, afirmou que está muito preocupado com a situação da segurança no Brasil, e em São paulo, em particular. Ele lembrou que o caso do prefeito assassinado de Campinas, Antonio da Costa Santos, o Toninho do PT, aconteceu há meses e ainda não foi esclarecido. Lula fez um apelo a Alckmin para que trate a questão do sequestro do prefeito Celso Daniel como se fosse "a mais importante da vida dele", para sinalizar uma reação à violência e à impunidade."É grave a situação da polícia. Precisamos que ela seja mais atuante e mais presente. A polícia tem demonstrado fragilidade nas investigações, talvez pela própria divergência existente entre as policias Civil e Militar", afirmou Lula, logo após encontro de emergência da executiva nacional do partido, em Santo André. O PT vai exigir de Alckmin todo aparato policial e de inteligência de São Paulo para as buscas de Celso Daniel.Lula defendeu o fim da divisão entre as polícias Civil e Militar e afirmou já ter pronto um projeto de segurança, que espera entregar no dia 28 para Celso Daniel, coordenador de seu programa de governo. É um projeto que determina as responsabilidades dos governos federal, estaduais e municipais, e da sociedade civil. O projeto, feito em nome do Instituto da Cidadania, presidido por Lula, é de domínio público e qualquer governante interessado pode colocá-lo em prática.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.