Lula jogou a esquerda no submundo, diz coordenador de Alckmin

O senador Sérgio Guerra (PSDB-PE), coordenador geral da campanha do tucano Geraldo Alckmin, disse nesta quinta-feira que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva "jogou a esquerda no submundo" e não tem "consistência intelectual e política para enfrentar uma discussão sobre o Brasil" em um possível segundo turno da eleição presidencial. Guerra disse ter certeza de que Alckmin vai disputar o segundo turno com Lula e afirmou que a ação de petistas para comprar um dossiê contra o tucano José Serra era uma tentativa de garantir um segundo turno em São Paulo."Não estamos preocupados com dossiezinhos, com fotografias fajutas. Nossa preocupação sincera é com o destino do País. Estamos ameaçados por assaltantes do País", afirmou Guerra em entrevista no comitê central da campanha.O coordenador da campanha tucana ressaltou que o PSDB não tem pessoas escaladas para ficar "atrás de dossiês" contra os adversários. "Não temos especialistas em bandidagem. Isso não é do nosso campo", afirmou. Guerra disse que é impossível que o presidente Lula não soubesse da operação que pretendia divulgar um dossiê contra Serra. Também cobrou que seja explicada a origem de R$ 1,75 milhão apreendido com dois colaboradores de Lula. "Por que o democrata presidente Lula não chama vocês e diz de onde vem o dinheiro? São amigos dele, para quem ele dá comida e sala ao lado (de seu gabinete). Essa gente estava desfilando com reais e dólares no bolso".Sérgio Guerra disse que os programas do PSDB na televisão darão "a devida prioridade" para o novo escândalo envolvendo o PT e colaboradores do presidente Lula. O coordenador afirmou que pesquisas internas da campanha tucana indicam o crescimento de Alckmin e a queda de Lula nos últimos dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.