Lula mudou e o PT se acomodou, diz Cristovam

O candidato à Presidência da República pelo PDT, senador Cristovam Buarque, disse neste domingo, 30, em Curitiba, que se sente "confortável" para fazer críticas ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, apesar de ter sido seu ministro da Educação. "Eu não mudei. Ele mudou", afirmou."Lamentavelmente, o PT se acomodou e o Lula mudou." Para ele, o partido do presidente "perdeu o vigor transformador". Segundo o senador, os discursos de Lula não têm mais o povo como alvo. "Ele fala para cada segmento eleitoral", disse. O candidato críticou o discurso do presidente, no sábado, 29, no Rio Grande do Sul, quando teria dito que é preciso eleger alguém que não tenha diploma universitário, que teria mais condições de fazer o que precisa ser feito pela educação. "Não digo que é preciso diploma para ser bom presidente, mas o que ele falou é contra a educação e a democracia", criticou. Para o candidato pedetista, Lula estaria excluindo do processo democrático todos os que estudaram e conseguiram diploma. "Isso prova que ele não entendeu que a democracia é importante. Tudo o que ele trouxer em defesa da educação é puro jogo de marketing", afirmou. "Quando ele fala sem `ponto` do marqueteiro ele diz besteiras." Para Buarque, Lula foi um líder no País até ser eleito. "Depois se tornou um fruto de marqueteiros."Agenda apertadaO senador Osmar Dias, candidato do PDT ao governo do Paraná, não acompanhou Buarque em Curitiba. Preferiu cumprir agenda em Palmas, no sul do Estado.Defensor da não candidatura própria à Presidência, Osmar foi representado pelo vereador de Curitiba, Jorge Bernardi. Segundo Bernardi, a agenda apertada de Osmar foi a razão de ele não estar em Curitiba.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.