Lula participa de ato em memória de fiscais mortos

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou há pouco à Catedral de Brasília para participar de ato ecumênico emmemória dos quatro funcionários do Ministério do Trabalho assassinados no último dia 28, em Unaí, Minas Gerais, durante umtrabalho de fiscalização de trabalho escravo. Ao ato estão presentes, também, o vice-presidente José Alencar e onze ministros de Estado: Jaques Wagner (Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Social), Ricardo Berzoini (Trabalho), Celso Amorim (Rela ções Exteriores), Humberto Costa (Saúde), Eunício Oliveira (Comunicações), Patrus Ananias (Desenvolvimento Social), Márcio Thomaz Bastos (Justiça), Álvaro Augusto Ribeiro (Advocacia Geral da União) e Waldir Píres (Controladoria Geral da União). Márcio Thomaz Bastos afirmou, antes do início do ato, que a elucidação do crime da Unaí é um ponto de honra do governo. Ele relatou ter recebido, ontem, da Polícia Federal, um relatório com várias pistas dos assassinos. O ministro ressaltou que todas essas pistas estão sendo investigadas com cuidado, para evitar deslizes e conclusões precipitadas. Ele assegurou, ainda, que o trabalho de inteligência da PF evoluiu bastante, ultimamente, e disse que a presença do presidente Lula ao atodesta tarde na catedral é a prova do empenho do governo em solucionar a questão. Bastos destacou, também, a operaçãorealizada hoje pela PF em Manaus que resultou na prisão de 25 pessoas, incluindo funcionários públicos. Disse que o trabalhofaz parte da luta do governo contra a corrupção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.