Lula pede abertura, mas faz ressalvas

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ser contra o sigilo eterno, mas fez ressalvas. A declaração foi dada após ele ter assistido a "aula-espetáculo" do escritor Ariano Suassuna, em São Bernardo do Campo (SP). Segundo Lula, o sigilo eterno só pode ser considerado em casos que envolvam outros países. "Sigilo eterno não, não existe nada que exija sigilo. Acho que tem de ter um prazo, a não ser que seja um documento de Estado, que precise de mais cuidados. Mas o restante, acho que o povo tem mais é que saber."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.