Lula pede desculpas, mas volta a enaltecer Dilma

Embora negue intenção de desafiar a Justiça Eleitoral, presidente diz que se sente na 'obrigação moral' de atribuir projeto à ex-ministra

Rafael Moraes Moura e Vannildo Mendes, O Estado de S.Paulo

15 de julho de 2010 | 00h00

BRASÍLIA

O presidente Lula pediu desculpas ontem por ter citado a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, em evento oficial na véspera. Ao comentar o episódio, porém, voltou a promover a figura de Dilma.

"Eu não tenho por hábito desafiar nem o mais humilde dos brasileiros, quanto mais desafiar uma legislação que nós mesmos criamos no Congresso Nacional. Eu, possivelmente, tenha cometido uma falha e acho que era preciso que a gente não lembrasse como aproveitamento de questão eleitoral", justificou-se o presidente, em entrevista concedida à imprensa no Palácio do Itamaraty durante a 4.ª Cúpula Brasil-União Europeia.

"Eu fiquei quase na obrigação moral de dizer que quem tinha começado a trabalhar, sabe, a questão do trem-bala, a começar o projeto, tinha sido a companheira Dilma." Lula admitiu que possivelmente não devesse ter sido ele a ter falado isso e sim outro companheiro.

Na terça-feira, no lançamento do edital do trem-bala, Lula usou seu discurso para enaltecer Dilma. "Na verdade, nem poderia falar o nome dela porque tem um processo eleitoral, mas a história a gente também não pode esconder por causa de eleição. A verdade é que a companheira Dilma Rousseff assumiu a responsabilidade de fazer esse TAV, e foi ela quem cuidou." /

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.