Lula responsabiliza companhias aéreas por atrasos

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva responsabilizou nesta quinta-feira, 21, as companhias aéreas pelo caos nos aeroportos às vésperas do Natal. Após participar de uma confraternização com funcionários do Palácio do Planalto, ele disse ter determinado à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e à Infraero que exijam das empresas explicações aos passageiros sobre a razão dos atrasos e cancelamentos de vôos. "No mínimo o que o povo espera é ser tratado com respeito", afirmou.Em entrevista, Lula afirmou que o problema recente nos aeroportos não foi causado por deficiências do sistema de controle de tráfego aéreo. "Já não é um problema dos controladores, que estão trabalhando direito. Agora, tem um problema que precisa ser explicado à população", disse. "Não pode deixar as pessoas quatro, cinco ou seis horas no aeroporto esperando, não cuidar dessas pessoas", acrescentou. "Cada empresa que tiver um problema deve comunicar aos passageiros."Horas antes, também no palácio, o presidente discutiu o recente problema nos aeroportos com o ministro da Defesa, Waldir Pires, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e o comandante da Aeronáutica, Luiz Carlos Bueno. O grupo avaliou que as companhias aéreas estavam jogando toda a responsabilidade para os controladores, omitindo deficiências da própria estrutura delas.43,9% dos vôos tiveram mais de uma hora de atrasoAté as 17 horas desta quinta-feira, 539 dos 1.227 vôos - ou 43,9% - previstos no dia para todo o País, estavam com mais de uma hora de atraso; 47 haviam sido cancelados. O aeroporto de Congonhas era o campeão de atrasos - dos 207, 77 estavam fora do horário.Tal situação teve três motivos, segundo o presidente da Anac, Milton Zuanazzi: fortes chuvas que atingiram São Paulo na quarta-feira e provocaram suspensão de vôos, problemas técnicos em seis aviões da TAM, que levaram ao cancelamento de 26 vôos, e queda de um provedor da TAM, no Rio. ?Desta vez, é zero a relação dos problemas com os controladores do tráfego aéreo?, declarou Zuanazzi, explicando que os problemas da quarta-feira provocaram uma desestruturação no final da noite daquele dia, que se estendeu até esta quinta-feira. Em entrevista coletiva, assegurou ainda que ?todos poderão passar as festas de Natal e fim de ano com seus familiares em outros Estados?. Logo depois, porém, fez a ressalva de que ?não pode se responsabilizar pelas excepcionalidades?.O comandante da Aeronáutica, brigadeiro Luiz Carlos Bueno, por sua vez, assegurou que não haverá necessidade de aquartelamento dos militares, com convocação de controladores de folga e cancelamento de férias, como foi feito nos feriados de 2 e 15 de novembro. Mas, apesar da tentativa de autoridades de garantir a normalidade nos próximos dias, o caos desta quinta-feira mostrou, mais uma vez, a fragilidade do sistema aéreo e despertou temores de que o feriado de Natal seja marcado por mais filas, longas esperas e transtornos. E o que dizer da expectativa para hoje? ?Estamos dando vazão à demanda reprimida?, garantiu Zuanazzi. ?No sábado, estará tudo resolvido.(Matéria alterada às 21h50 com acréscimo de informações)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.