Lula revela ser contra redução da maioridade penal

Em meio à pressão de vários setores da sociedade para a redução da maioridade penal de 18 anos para 16 anos, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou claro hoje que é contrário à mudança.Foi durante entrevista à TV Bandeirantes gravada na manhã de hoje no Palácio da Alvorada, que irá ao ar no próximo domingo. O presidente entende, segundo assessores queacompanharam a gravação, que "reduzir a maioridade penal não resolve o problema da violência".Essa é a primeira manifestação pública do presidente sobre a questão. O assunto voltou à tona depois damorte do casal de estudantes Felipe Silva Caffé, de 19 anos, e Liana Friedenbach, de 16 anos, no município de Embu-Guaçu, naGrande São Paulo. O pai de Liana, Ari Friedenbach, vem defendendo publicamente a redução da maioridade penal e desdeontem está em Brasília para tentar convencer autoridades sobre a necessidade da mudança. Um dos acusados da morte de sua filha é o menor de 16 anos e teria torturado a jovem antes dematá-la com 15 facadas.A questão da maioridade penal será hoje um dos temas da reunião do presidente Lula com membros da Conferência Nacionaldos Bispos do Brasil (CNBB), marcada para às 17 horas. A instituição já declarou ser contrária à redução da maioridade penal, masalguns mem bros da igreja Católica, como o bispo de Aparecida, dom Aloísio Lorscheider, declarou ser favorável à redução damaioridade. O rabino Henri Sobel, tradicional defensor dos direito humanos, também declarou ao Estado ser favorável àmudança. A posição de dom Lorscheider, segundo a CNBB, é pessoal e não reflete o que pensa o conjunto da confederação. As informações são da Agência Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.