Lula também envia carta aceitando condições do PDT para conseguir apoio

Tanto o candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, quanto o do PT, presidente Luiz Inácio Lula da Silva, aceitaram as condições impostaspelo PDT para receber o apoio do partido no segundo turno da eleição presidencial. O primeiro a responder aos trabalhistas foi Alckmin. Pore-mail, ele enviou uma longa carta ao presidente do PDT, Carlos Lupi, que declarou existir no partido tendência de apoio ao tucano. Lula respondeu no final desta quarta-feira, com uma carta mais ampla, sem entrar em detalhes sobre os pontos reivindicados pelo partido de Lupi.Em sua carta, Lula lembrou que apesar do PDT e o PT não estarem juntos no primeiro turno da eleição presidencial - o senador Cristovam Buarque concorreu pelo partido -, participaram "conjuntamente em várias disputas estaduais". O presidente declarou que construiu um governo de "privilegia os grandes valores da esquerda democrática", e que "foi possível apurar, em todas as esferas do Estado, atos de corrupção que no passado ficaram impunes". Lula se comprometeu a apoiar "os pontos relacionados à ordem ética e política e às questões educacionais" projetados pelo PDT, assim como as "questões relacionadas com a ordem econômica e na defesa dos direitos dos trabalhadores".Na próxima segunda-feira, o Diretório Nacional do PDT irá se reunir no Rio de Janeiro para decidir sobre quem irá apoiar no segundo turno. O partido havia publicado uma carta em seu site, na última sexta-feira, com uma lista de reivindicações para conceder o apoio, na qual também dizia que não iria procurar ninguém, mas aguardaria o pronunciamento dos dois candidatos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.