Lula vai participar de missa em homenagem às vítimas amanhã

Cerimônia acontece às 18h na igreja Nossa Senhora do Carmo, no Rio; hoje, familiares demonstraram esperança

Leonencio Nossa, Agência Estado

04 de junho de 2009 | 12h41

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai participar nesta sexta-feira, 5, às 18 horas, de uma missa em homenagem às vítimas do acidente do voo 447 da Air France, que desapareceu na noite do último domingo na rota Rio-Paris, na igreja Nossa Senhora do Carmo, no Rio de Janeiro. A informação é da secretaria de imprensa da Presidência da República.

 

Veja também:

lista Todas as notícias sobre o Voo 447

lista Voo 447: Veja os nomes de todas as nacionalidades; são 102

lista Air France divulga lista de brasileiros no Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: buscas do Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: homenagem às vítimas

blog Blog: histórias de quem quase embarcou

especial Conheça o Airbus A330 desaparecido no trajeto Rio-Paris  

blog Acompanhe a cobertura pelo blog Tempo Real

especialCronologia das tragédias da aviação brasileira

especial Cronologia dos piores acidentes aéreos dos últimos dez anos

video Entenda a operação que localizou destroços

video TV Estadão: Especialista fala sobre o acidente

linkApenas 4 minutos da 1ª pane até a queda
linkAirbus voava em velocidade 'errada' e teria se 'desintegrado'

linkPiloto viu clarão na rota do Voo 447, informa jornal espanhol

 

Nesta quinta-feira, familiares e amigos de passageiros do Voo 447 da Air France, que desapareceu na noite do último domingo, demonstraram esperança de sobreviventes durante cerimônia em homenagem realizada na Igreja da Candelária, também no Rio. O missa contou ainda com a presença dos ministros das Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorim, e da França, Bernard Kouphner. A participação do presidente Lula chegou a ser cogitada pela agência EFE, mas não se confirmou.

 

Na quarta-feira, 48 horas após o desaparecimento, foi realizada a primeira grande homenagem coletiva às vítimas do voo da Air France. O ato ecumênico na mítica catedral de Notre-Dame reuniu católicos, ortodoxos, protestantes, judeus e muçulmanos.

 

Marcada para as 16 horas, a primeira homenagem começou muito antes do previsto. Ao longo de todo o dia, fiéis passaram pelas naves da catedral, deixando mensagens de solidariedade, enquanto uma multidão de curiosos se reunia no exterior. Autoridades como o presidente da França, Nicolas Sarkozy, e a primeira-dama, Carla Bruni, além do primeiro-ministro, François Fillon, e do ex-presidente Jacques Chirac, compareceram.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.