Lula vence na Argentina

A maior parte dos eleitores cadastrados da pequena comunidade brasileira na Argentina optou pela reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O presidente recebeu 543 votos, de um total de 1.048. O candidato opositor, Geraldo Alckmin, conseguiu 468. No total, 1.509 brasileiros estavam cadastrados para votar nas eleições presidenciais deste domingo. Trinta e sete eleitores votaram em brancos ou anularam.Os eleitores contaram com quatro urnas eletrônicas instaladas na Embaixada do Brasil no centro de Buenos Aires, além de uma urna eletrônica no consulado brasileiro na cidade de Córdoba, na região central da Argentina.Na capital, Lula conseguiu 488 votos, enquanto que Alckmin obteve 442. Em Córdoba, Lula teve 55 votos. Ali, Alckmin conseguiu 26 votos.No primeiro turno, do total cadastrado em Buenos Aires votaram 1.001 pessoas. Na ocasião,o presidente Luiz Inácio Lula da Silva obteve 447 votos. Outros 366 votaram em Geraldo Alckmin. Na mesma ocasião, em Córdoba votaram 86 eleitores do total de 114 que haviam sido cadastrados. Desses, 52 optaram por Lula. Outros 18 destinaram seu voto a Alckmin.Estimativas indicam que a comunidade brasileira na Argentina é integrada por 32 mil pessoas. Destas, apenas 7 mil seriam legalizadas, enquanto que as outras residiriam no país sem documentação apropriada. A maioria dos brasileiros reside na fronteira com o Brasil, onde trabalham - basicamente - no comércio e lavoura. Calcula-se que aproximadamente 8 mil brasileiros moram em Buenos Aires e em outras cidades argentinas do interior.Mais sucessos do que fracassosO jornal "Página 12" publicou neste sábado uma entrevista exclusiva com o presidente Lula. Na longa entrevista, o presidente sustenta que está "satisfeito" com seu governo, pois "foram maiores os sucessos do que os fracassos. Lula também destacou que na lista dos sucessos o Brasil pode ostentar um menor nível de fome e mais investimentos na área social. "Os brasileiros, especialmente os mais pobres, estão comendo mais e têm mais perspectivas", afirmou. Segundo ele, o salário mínimo atual tem o maior poder de compra dos últimos 26 anos.Na área externa, Lula sustentou que seu governo continuará colocando ênfase na integração sul-americana. No entanto, afirmou que ao mesmo tempo pretende ampliar o acesso aos mercados europeus, americano e asiático. "Nossa política externa não se move por razões ideológicas, mas sim, pela defesa dos interesses nacionais".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.