Lula volta a oferecer ajuda para São Paulo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a oferecer, na manhã desta quarta-feira, ajuda federal ao governo de São Paulo para conter a violência no Estado. Em entrevista, antes de deixar o hotel onde está hospedado para abrir a II Conferência de Intelectuais da África e da Diáspora (CIAD), ele disse que está muito preocupado com a segurança em São Paulo e informou que, na quinta-feira, 13, o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, vai conversar novamente com o governador Cláudio Lembo para lhe oferecer ajuda, mas ponderou que o governo federal não pode colocar a Força Nacional de Segurança no Estado sem a aprovação do governo estadual.Questionado se a violência não poderia virar uma questão eleitoral, ele disse: "Então vamos criar um país de mudos, porque não se pode falar nada?", observando: "O dado concreto é que os fatos estão existindo. Os bandidos não estão preocupados se vai ou não vai ter eleição. Os bandidos estão aterrorizando São Paulo, e nós temos que tomar atitudes".Ele disse que uma possível ajuda pode consistir em um trabalho em comum acordo com o governo estadual, se ele quiser. "Agora, se São Paulo continua achando que a situação está normal e pode tomar conta sem ajuda, o governo federal não pode fazer nada", insistiu.O presidente avaliou, no entanto, que a situação não está normal. "Se todo dia há morte de carcereiro, queima de ônibus, isso não é normal, coloca a sociedade em pânico. Eu acho que São Pau lo, pelo que representa para o Brasil, merece ser tratado com carinho especial", afirmou.Governador caladoEm São Paulo, o governador Claudio Lembo não deverá se pronunciar sobre a nova onda de ataques que ocorreram na madrugada desta quarta-feira na capital e na região metropolitana do Estado, segundo a assessoria de imprensa do Palácio dos Bandeirantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.