Luta para salvar a vida do esportista brasileiro na Indonésia

A três semanas do veredito que poderá levar à morte o esportista brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira, de 42 anos, que está sendo julgado por tráfico de drogas por um tribunal da Indonésia, o deputado federal Fernando Gabeira se mobiliza na tentativa de abrandar sua pena.Procurado pela mãe de Moreira, Carolina Archer, Gabeira entrou em contato com o secretário especial de Direitos Humanos, Nilmário Miranda, que acionou o Itamaraty para que seja dada atenção especial ao caso. A embaixada brasileira em Jacarta, capital da Indonésia, já está assistindo Moreira desde o início do processo. ?Caso saia a condenação à morte, vamos tentar pedir o perdão do crime, já que a execução não é imediata?, afirmou Gabeira.Ele lembrou que as formas de execução naquele país são extremamente cruéis ? fuzilamento e esmagamento da cabeça por um elefante são duas das opções. Instrutor de vôo livre residente em Ipanema, Moreira, que é conhecido entre os esportistas como Curumim, foi preso em agosto do ano passado ao entrar na Indonésia com 13,4 quilos de cocaína. A droga estava acondicionada em sacos, que estavam escondidos em seu equipamento de parapente. Curumim havia recebido US$ 10 mil para levar a carga do Peru para Jacarta. Ele conseguiu fugir do flagrante, mas foi capturado 16 dias depois. A pena máxima já foi pedida pela acusação durante o julgamento no tribunal de Tageerang.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.