Lutador que agrediu homem ainda não foi ouvido pela polícia

Quase uma semana depois de ter agredido violentamente o comprador Fernando Rodrigo Monteleoni de Moraes, de 27 anos, quando ele prestava socorro a uma vítima de um acidente, até o final da tarde desta sexta-feira, 27, o ex-lutador de caratê Mário Sérgio do Lago Amos Neto, de 29 anos, não tinha sido ouvido pela Polícia Civil de Piedade, na região de Sorocaba, onde corre o inquérito. Moraes foi agredido violentamente no final de semana, pelo ex-lutador de caratê quando tentou socorrer uma vítima de um acidente provavelmente causada pelo lutador. A irmã da vítima, Márcia Regina Moraes saiu indignada do encontro que teve com o delegado João Chaves de Mello, no final desta tarde. Os dois advogados que acompanharam a família lamentaram a demora no andamento do inquérito. "É um absurdo que o agressor não tenha sido ouvido até agora", disse o advogado Luiz Henrique Ferraz.A vítima continua internada na UTI do hospital da Unimed, de São Roque. A família pretende acionar a Corregedoria da Polícia Civil. Segundo a mulher de Fernando, Aline Moraes, ele já está consciente, mas não se recorda de nada. Ele passou por uma delicada cirurgia para a retirada de um coágulo.A família do rapaz agredido pretende agir com muito empenho e cobrar as autoridades policiais para que o agressor seja punido. Além de Moraes, o ex-lutador também agrediu o gerente de vendas, Mario Soares, que estava preso nas ferragens do seu veículo. O delegado João Chaves de Mello, está ouvindo as testemunhas e depois de colher os depoimentos é que vai decidir se o caso será classificado como lesão corporal ou tentativa de homicídio.O agressor mora numa chácara, no bairro Capela de São Roque, em Piedade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.