Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Macacos aparecem mortos em cidades do Sul de MG

Receio é de que estejam infectados com a febre amarela; amostras foram encaminhadas para exames

René Moreira, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

31 Outubro 2017 | 14h35

Macacos apareceram mortos no último fim de semana nos municípios de Três Corações (MG) e Guaranésia (MG), no Sul do estado. O receio é de que estejam infectados com a febre amarela, e amostras foram encaminhadas para exames na Fundação Ezequiel Dias, em Belo Horizonte. As cidades também iniciaram um trabalho intenso de vacinação junto aos moradores das áreas afetadas.

+ Mais de 370 mil moradores da zona norte de SP já se vacinaram contra a febre amarela

+ Aquecimento global melhorou capacidade do Aedes de transmitir dengue

Após os casos de óbito por febre amarela - inclusive em humanos -, a Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais resolveu também tomar uma série de medidas. O aparecimento de casos suspeitos da doença é monitorado e a vacinação foi intensificada. A secretaria informou ainda que "tem emitido alertas e realizado reuniões para discussão da situação com as regionais de saúde e municípios do estado".

O último caso humano confirmado de febre amarela em Minas foi no dia 9 de junho de 2017. Em relação aos primatas, as notificações de mortandade continuam ocorrendo no estado, e os municípios de Gonçalves (MG) e Lagoa Dourada (MG) estão entre os que tiveram animais coletados nas últimas semanas.

Vacina. De acordo com a Secretaria de Saúde, atualmente a estimativa da cobertura vacinal acumulada de febre amarela em Minas Gerais entre os anos de 2007 e 2017 é de 80,64%, com uma estimativa de 3.843.407 pessoas não vacinadas. Mas todos os municípios mineiros possuem recomendação de vacina e a meta é imunizar 95% dos moradores. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.