Macarrão alega problemas de saúde e deixa júri do caso Bruno

Juíza autorizou braço direito do goleiro a voltar para penitenciária em Contagem (MG); julgamento pelo sequestro e morte de Eliza Samudio começou nesta segunda

Marcelo Portela, de Belo Horizonte

19 Novembro 2012 | 16h32

BELO HORIZONTE - O braço direito do goleiro Bruno Fernandes, Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, foi retirado da sessão de julgamento pelo sequestro e assassinato da ex-amante do atleta, Eliza Samudio, menos de meia hora após a sessão ser retomada na tarde desta segunda-feira, 19. O réu alegou estar passando mal e a juíza Marixa Fabiane Lopes autorizou que ele fosse retirado do plenário e levado de volta para a Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, mesma cidade onde é realizado o julgamento.

 

Minutos antes, Macarrão havia concordado em ser julgado já a partir desta segunda, apesar de seus advogados ameaçarem abandonar o plenário, como fizeram os defensores do ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos, o Bola. O ex-policial, acusado de executar Eliza, tem dez dias para nomear novos advogados e deve ser julgado no início de 2013.

 

Com a retirada de Bola e Macarrão, ficaram no plenário apenas os outros três réus que serão julgados a partir desta segunda: Bruno, sua ex-mulher Dayanne Rodrigues do Carmo e a outra ex-namorada do goleiro, Fernanda Gomes de Castro. As duas estão em liberdade e chegaram ao fórum de Contagem e em silêncio. Já Bruno, preso desde julho de 2010, acompanha os trabalhos com o semblante fechado, mas com a cabeça erguida, sentado ao lado de Dayanne.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.