Thomas Cheng/EFE
Thomas Cheng/EFE

Madre Teresa de Calcutá será canonizada em 4 de setembro

Religiosa que atuou na Índia e recebeu o Nobel da Paz por seus atos de caridade vai se tornar santa; cerimônia deve ser em Roma

O Estado de S. Paulo

15 de março de 2016 | 08h49

VATICANO - A Madre Teresa de Calcutá será canonizada no dia 4 de setembro, informou o Vaticano nesta terça-feira, 15. O decreto foi assinado pelo papa Francisco. O local da celebração ainda não foi confirmado, apesar da insistência da Igreja da Índia em fazer a cerimônia no país onde a madre atuou. Fontes do Vaticano, entretanto, dizem que a canonização será realizada mesmo em Roma.

A decisão de canonizar a madre, que se tornou símbolo da caridade em todo o mundo, foi tomada por um conselho encarregado de examinar os feitos da religiosa. Madre Teresa de Calcutá morreu em 1997, aos 87 anos, e foi beatificada em 2003. Agora, ela se tornará santa para a Igreja Católica. Apesar de ser internacionalmente famosa pela sua bondade, a madre também é acusada de tentar converter as pessoas ao cristianismo.

Defensor das causas dos mais pobres, o papa Francisco se empenhou pessoalmente na canonização da religiosa. A madre Teresa nasceu com o nome de Agnese Gonxha Bojaxhiu, na região onde hoje é a Macedônia. Ela fundou o grupo Missionárias da Caridade nos anos 1950, para ajudar os pobres nas ruas de Calcutá, na Índia. Pelo seu trabalho, ela ganhou o prêmio Nobel da Paz em 1979.

A Igreja Católica canoniza aquelas pessoas que foram santas suficientes em vida para que, no paraíso, possam interceder junto a Deus para realizar milagres. Dois milagres são creditados a Madre Teresa de Calcutá pela Igreja, ambos envolvendo a cura de pessoas doentes.  /AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.