Madri pedirá extradição de El Negro

Procurado desde 2001, traficante fugiu após ser preso pela polícia espanhola com 13 toneladas de cocaína

CAMILLA HADDAD, COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS, O Estadao de S.Paulo

07 Fevereiro 2009 | 00h00

A Espanha pedirá ao Brasil a extradição do narcotraficante Carlos Ruiz Santamaría, mais conhecido como El Negro, que era procurado pela Interpol desde dezembro de 2001. Uma vez que seja extraditado, seu processo na Espanha será muito rápido, segundo juristas, uma vez que sua fuga aconteceu faltando poucas semanas para que começasse o julgamento no qual a Procuradoria pedia 60 anos de prisão e multa de US$ 370 milhões.   Siga online a repercussão e relembre outros casos de traficantes no PaísSantamaría foi detido em 1999 na Espanha, com mais 40 pessoas e uma carga de 13 toneladas de cocaína, numa das maiores apreensões de drogas já feitas na Europa, de acordo com a Interpol. Em dezembro de 2001, dias antes de ser julgado, obteve a liberdade, pagando uma fiança e alegando motivos de saúde - tendência ao suicídio, segundo jornais espanhóis. Livre, fugiu do país.Segundo a Interpol, ele é a ligação entre os cartéis colombianos na Europa e atuava como sócio do traficante colombiano Juan Carlos Ramírez Abadía, preso em São Paulo em 2007 e extraditado para os Estados Unidos. Na Espanha, mais precisamente, ele é acusado de manter uma base de distribuição de cocaína para toda a Europa.O delegado Adalberto Barbosa, da Divisão-Geral de Investigações do Departamento de Investigações Sobre Crime Organizado (Deic), acredita que a prisão do mexicano tenha sido realizada pelo Departamento de Investigações Sobre Narcóticos (Denarc). Na cadeia, ele tentou "disfarçar" sua condição de foragido internacional. Ainda segundo Barbosa, El Negro foi interrogado novamente por causa de uma investigação sobre atividades ilegais de uma empresa prestadora de serviços gerais na capital, que seria utilizada para lavagem de dinheiro. Para o Deic, uma empresa de limpeza que passa a negociar com "aviões" é uma empresa que tem características de lavagem de dinheiro do narcotráfico. As apurações mostraram vários endereços e sócios até aparecer o nome do comerciante Manoel Oliveira Ortiz - ou El Negro.REPERCUSSÃOO aparecimento de Santamaría foi destaque ontem em sites espanhóis. Os portais de El País, El Mundo e El Periódico traziam a repercussão do pedido de extradição do narcotraficante. El País lembrou a polêmica em torno da libertação de Santamaría, antes do julgamento. Três juízes do Tribunal Supremo da Espanha foram acusados de prevaricação na época. Carlos Cezón, Juan José López Ortega e Carlos Ollero receberam suspensão de até sete meses por falta muito grave de desatenção. Os magistrados recorreram e a sentença foi anulada. Ficou, então, entendido que os juízes cometeram um erro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.