Madrugada em SP foi a mais quente do inverno

A cidade de São Paulo teve a madrugada mais quente desde o início deste inverno, segundo medição do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Foram registrados do Mirante de Santana, na zona norte da capital, 17,6 graus, entre as 3 e 6 horas da manhã desta sexta-feira, 28. No ano passado, a máxima atingida no mês de julho chegou a 18,9%, segundo o Inmet.O Estado de São Paulo ficou sob o efeito da massa de ar quente e seco que deixou o tempo aberto e a umidade baixa durante toda a semana. Na tarde de quinta-feira, a temperatura máxima registrada na capital foi de 28,8 graus, no Mirante de Santana, na zona norte, e a mínima foi de 14,7 graus. A umidade máxima chegou a 33%, também na zona norte, mas o número chegou a 23% no Aeroporto de Congonhas. De acordo com a meteorologista Aline Ribeiro, do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), o inverno quente e seco dos últimos dias, apesar de atípico, já estava previsto. "No inverno, o mês de julho sempre é o mais seco. O que está acontecendo nos últimos dias é um fenômeno chamado de veranico, em que o tempo fica sem nuvens, com muito sol e temperaturas elevadas", explica. A meteorologista diz que esse é um fenômeno normal, ocasionado devido a uma mudança no padrão de circulação da atmosfera que impede a chegada das frentes frias ao Sudeste. Mas ela garante que no fim de semana haverá uma queda brusca de temperatura, com a vinda de uma frente fria do Sul do País. "A temperatura vai cair em 10 graus. Como nos últimos dias as máximas chegaram a 30 graus, vai dar para sentir o friozinho."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.