Mãe acusa pai de ter jogado bebê na churrasqueira

Acusada de jogar a filha recém-nascida numa churrasqueira no município de Santo Estevão, a 140 quilômetros da capital baiana, Marlene Oliveira, de 20 anos, disse hoje em depoimento ao delegado Madson Pereira que foi o pai do bebê que tentou matá-lo. "Foi o monstro do pai dela", disse. A polícia não revelou o nome do pai da garotinha e vai investigar se ele teve alguma participação no caso.Ao ser presa ontem, Marlene a princípio negou envolvimento, mas seus familiares confirmaram que ela estava grávida e sumiu de casa oito dias antes de dar à luz. Diante das evidências, a mulher confessou que havia de fato escondido a gravidez da família e deu à luz no Hospital da Mulher na cidade de Feira de Santana. Dois dias depois ela teria deixado o bebê numa churrasqueira do centro de abastecimento de Santo Estevão. Ela foi identificada pela pulseira da maternidade que estava no pulso do bebê com o nome da mãe.A garotinha foi salva pelos comerciantes do local e permanecia internada em observação no Hospital Clériston Andrade de Feira de Santana. Ela sofreu queimaduras de primeiro, segundo e terceiro graus em 15% do corpo. Foi medicada, mas passa agora por um período delicado segundo os médicos, pois há o risco de infecção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.