Mãe acusada de matar filha com cocaína presta depoimento

A jovem Daniele do Prado Toledo, 22, acusada de matar a própria filha com cocaína na mamadeira no ano passado, em Taubaté, no Vale do Paraíba, prestou o primeiro depoimento à Justiça na tarde desta quarta-feira, 28. Ela foi ouvida por uma hora pelo juiz Marco Antonio Montemor, no fórum criminal da cidade. Mais uma vez Daniele negou as acusações de ter matado a filha. Continuou afirmando que apenas deu à criança os medicamentos prescritos pelos médicos. A filha dela, Victoria Maria do Prado Iori Camargo, de um ano e três meses, estava internada no Pronto Socorro Municipal quando teve convulsões e paradas cardíacas até a morte. Uma médica, na época, levantou a suspeita de cocaína na mamadeira e um teste preliminar da polícia civil atestou a existência da substância. Por este motivo, Daniele foi presa em flagrante e espancada em seguida. Daniele ficou detida por 37 dias e conseguiu a liberdade provisória depois que outros testes mostraram a ausência de cocaína na mamadeira. Outros laudos de exames nas vísceras, sangue e urina, também apontaram que não havia nenhum entorpecente. A advogada informou que Daniele perdeu 70% da visão e 85% da audição do lado direito depois de ser agredida por presas da cadeia de Pindamonhangaba, no dia em que foi detida. Ela passou por exames clínicos e os laudos também devem ser inseridos em uma ação de indenização por danos morais e materiais que ela pretende ingressar contra o Estado.

Agencia Estado,

28 Fevereiro 2007 | 17h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.