Mãe adotiva seqüestrou Pedrinho, afirma a polícia

A polícia de Brasília não tem mais dúvidas de que foi Vilma Martins Costa, a mãe adotiva de Pedrinho, quem seqüestrou o menino de dentro de um hospital de Brasília, em 1986. Segundo o delegado Hertz Andrade, que comanda as investigações, na noite de ontem foi colhido o depoimento da pessoa que levou Vilma para Brasília, com a intenção de seqüestrar o bebê, informou a Globo News.As suspeitas surgiram a partir das semelhanças entre Vilma com o retrato falado da seqüestradora feito na época. O depoimento do acompanhante de um paciente que estava no hospital no dia do seqüestro também foi fundamental para a conclusão. A testemunha reconheceu pela televisão a mãe adotiva de Pedrinho como a seqüestradora.

Agencia Estado,

14 de novembro de 2002 | 10h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.