Mãe de Pedrinho tinha certeza que Vilma era a seqüestradora

A mãe biológica de Osvaldo Borges, o Pedrinho, Maria Auxiliadora Rosalino Braule Pinto, disse hoje, em depoimento ao juiz Sebastião Coelho, da 2ª Vara de Precatórios da Justiça de Brasília, que teve certeza, quando viu Vilma Martins pela primeira vez na televisão, que ela era a autora do seqüestro de seu filho, ocorrido há mais de 17 anos no Hospital Santa Lúcia, em Brasília, onde Pedrinho nasceu. Lia, como é chamada por seus amigos e familiares, prestou depoimento por carta precatória, já que o processso do seqüestro de Pedrinho corre na Justiça de Goiás. Segundo ela, há cerca de dois meses, Roberta Jamilly, outra filha de Vilma que também teria sido seqüestrada por ela quando bebê, foi procurá-la para pedir que não declarasse, em juízo, que Vilma era a seqüestradora de Pedrinho. Maria Auxiliadora contou também que o advogado de Vilma pediu a seu marido, Jairo Tapajós, antes de ele fazer o exame de DNA que comprovaria ser ele o pai de Pedrinho, que assinasse um documento se comprometendo a não entrar na Justiça contra Vilma. Segundo Auxiliadora, Jairo assinou o documento, mas ela não.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.