Mãe diz não saber do corpo do filho morto em Londres

A mãe do brasileiro Acioli Pariz Júnior, assassinado em Londres no último dia 14, Benildes Altoé Pariz, ficou estarrecida ao saber que o acusado de matar seu filho, o ex-soldado inglês Roderick George McDonald teria se suicidado na cadeia. "Não sei o que pensar. Ele não tinha direito de tirar a vida de ninguém, nem a dele próprio. E agora, como fica? Quem vai pagar pela morte do meu filho? Ele morreu por nada", desabafou ela, em entrevista por telefone ao Estado.McDonald era o único suspeito do crime, segundo a polícia inglesa. No dia 22 de fevereiro, o ex-soldado que havia sido preso e interrogado um dia antes, foi formalmente acusado como assassino do brasileiro Acioli Pariz Júnior.Benildes reclamou que desde sábado não recebe nenhuma informação oficial - nem da embaixada brasileira, nem da polícia inglesa - a respeito da liberação do corpo de Pariz, que continua na Inglaterra. Seu outro filho, Jálber, viajou para tentar apressar o trâmite, mas não tem sido atendido."Ele liga direto para a embaixada, mas ninguém está nos ajudando. O governo brasileiro não fez nada. Nós não temos nenhuma informação do que está acontecendo", disse ela, acrescentando que a polícia inglesa trabalha sigilosamente e também não tem mantido a família informada das investigações."Não sei porque esse crime foi cometido. Imagino que meu filho possa ter descoberto que esse inglês usava documentos falsos. Acho que eles eram amigos. Mas não sei nada, só posso imaginar na minha cabeça", disse a mãe do brasileiro.Acioli Pariz Júnior foi encontrado morto em um quarto de hotel em Londres, no dia 14 de fevereiro. Segundo o laudo da polícia inglesa, ele teria sido morto a pauladas e tinha dois cortes na barriga. Ele será enterrado em Jaguaré, no Espírito Santo. A previsão é a de que o corpo chegue ao País na semana que vem.Texto alterado em 2/03/07 para alteração de título.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.