Mãe do traficante Dudu também vai fazer o exame de DNA

A mãe do traficante Eduíno Eustáquio de Araújo Filho, o Dudu, concordou em ceder material biológico para o exame de DNA, a fim de ajudar a polícia a descobrir se o corpo encontrado carbonizado no último dia 21 na zona norte do Rio de Janeiro é o de seu filho. O resultado do teste feito no irmão de Dudu deverá ficar pronto amanhã. O diretor de Polícia Técnica, Roger Ancillotti, explicou que o material da mãe do bandido é importante porque, junto com o do irmão, irá tirar qualquer dúvida da polícia quanto à identidade do corpo. "O percentual de certeza será de 99,9%", justificou Ancillotti. Os nomes dos dois parentes de Dudu e o laboratório onde os exames são feitos estão sendo mantidos sob sigilo. A mãe do traficante mora em outra cidade e veio para o Rio para a coleta, segundo a Secretaria de Segurança Pública. O resultado do teste dela deverá ficar pronto 72 horas depois de a amostra começar a ser analisada. A identificação do traficante é importante porque ele foi o responsável, segundo a polícia, pela invasão da favela da Rocinha na semana santa. A guerra entre criminosos rivais provocou 13 mortes. Apesar das especulações em torno do corpo encontrado no Catumbi, as buscas a Dudu continuam. Como ele teria sido baleado na semana passada num tiroteio no Complexo do Alemão, na zona norte, policiais vasculharam hospitais e clínicas onde ele poderia ter se tratado. No entanto, nenhuma pista foi encontrada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.