Mãe é acusada de jogar filha de oito meses pela janela

Delegado afirma que ela teria dito: 'eu queria me livrar do pacote. Sempre fui incompetente para cuidar dela'

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

01 de julho de 2008 | 03h00

A polícia de Curitiba acusa a enfermeira Tatiane Damiane, de 41 anos, de ter jogado a filha de oito meses do sexto andar de um prédio de classe média, na região central da cidade, na noite de segunda-feira, 30. Segundo o delegado Antonio Campos de Macedo, em depoimento, a mulher teria dito "queria me livrar do pacote. Sempre fui incompetente para cuidar dela".   Veja também:  STJ nega pedido de liberdade ao pai e a madrasta de Isabella   A enfermeira, que trabalha no Hospital das Clínicas, onde vinha tomando medicamentos e recebendo acompanhamento psicológico por causa de crises de depressão, foi transferida para o Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crime (Nucria), que assumirá o inquérito. A intenção da polícia é encaminhar Tatiane para a carceragem do 9º Distrito Policial, de Vila Santa Quitéria, onde há carceragem feminina. Ao saberem do crime e da possibilidade da enfermeira ser levada para lá, as 38 presas do 9º Distrito prometeram fazer justiça com as próprias mãos. A polícia agora pedirá exames psicológicos da acusada, que foi indiciada por homicídio.   Crime   Por volta das 21h15 desta segunda-feira, ao verem uma mulher que aparentemente ameaçava se jogar da janela do prédio localizado na Rua Voluntários da Pátria, testemunhas acionaram os bombeiros. No momento em que a equipe de resgate chegou, quem havia sido atirada pela janela era a criança, que morreu segundos depois de cair na laje que cobre a garagem. Dominada, a enfermeira foi encaminhada à delegacia.

Tudo o que sabemos sobre:
ParanáCuritibacriançamorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.