Mãe e filho executados com tiros em Guarulhos

Morando há apenas duas semanas num barraco minúsculo na Cidade Industrial Satélite, em Guarulhos, a cozinheira desempregada Eliene da Silva, de 27 anos, foi surpreendida pela invasão de sua moradia, por volta das 21h00 de sábado. Ela foi baleada na cabeça e o filho Anderson Cavalcante da Silva, de 8 anos, na nuca. Quando a polícia chegou mãe e filho já estavam mortos. As primeiras suspeitas são de que ocorreu um crime de vingança e que Eliene como filho se mudaram para aquele barraco numa tentativa de fugir a uma perseguição. Eles moravam na Vila Nova Cumbica e, há de 20 dias, seu companheiro, Argemiro, foi preso por tráfico de drogas. Poucos dias depois ocorreu a mudança.Segundo vizinhas, ela pagou R$ 300 pelo barraco naquela pequena favela, formada por cerca de 30 moradias precárias de madeira de apenas um cômodo, com no máximo seis metros quadrados, ao longo do muro de uma transportadora.Possivelmente pressionados "lei do silêncio", os demais moradores disseram à polícia não saber nem ao menos quantas pessoas invadiram o barraco de Eliene. No sábado à tarde, ela foi visitar o marido no Centro de Detenção Provisória 1 e, ao retornar, pode ter sido seguida pelos criminosos. Todos na favela admitem ter ouvido os estampidos, mas afirmam que, ao sair, já não havia mais ninguém nas proximidades.

Agencia Estado,

06 de abril de 2003 | 08h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.