Mãe e padrasto acusados de matar criança de 4 anos em SP

O pequeno L.R.L.S., que completaria 4 anos de idade neste feriado de 7 de setembro, teria sido violentado, espancado e queimado, na noite de segunda-feira, dentro de casa, no Jardim Margarida, região do Capão Redondo, na zona sul da capital paulista. Os acusados são a mãe, Gislene Marta Evangelista Liberato, de 24 anos, e o padrasto, identificado como Roni José da Silva.Eram 22 horas de segunda-feira quando o casal chegou ao pronto-socorro do Hospital Regional Sul levando a criança, que já estava com parada cardiorrespiratória e não resistiu. Roni e Gislene disseram aos médicos que o garoto havia sofrido uma queda, mas, ao analisar os hematomas e as marcas de queimadura, a equipe médica resolveu chamar a polícia. Homens da 1ª Companhia do 22º Batalhão da Polícia Militar foram acionados e detiveram, ainda no hospital, a mãe. Roni já havia fugido.Gislene foi encaminhada ao 11º Distrito Policial e, após prestar depoimento ao delegado José Mariano de Araújo Filho, foi indiciada por homicídio e teve de sair com os policiais para auxiliar na captura do atual marido, que seguia foragido até às 5h45 desta Terça-feira. Detalhes sobre o que levou o casal a praticar o suposto crime não foram informados pela polícia. Segundo parentes da criança, o pai do garoto, Roberto Rodrigues de Souza, lutava havia 3 meses para ter a guarda do filho, pois teria informações de que o menino vinha sendo agredido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.