Mãe e padrasto são investigados por ajoelhar irmãos sobre pregos

A mãe e o padrasto de duas crianças são investigados pela Polícia Civil por maus-tratos na região de Capão Redondo, zona sul de São Paulo. Segundo a polícia, na sexta-feira a garota de 8 anos contou para a professora da escola que era obrigada pela mãe e pelo padrasto a se ajoelhar em uma tábua com pregos. O mesmo acontecia com o irmão dela, de 6 anos.A professora levou o caso para a diretoria da escola, que chamou a Guarda Civil Metropolitana. O caso foi levado ao 47º DP. Chamados para depoimento, a faxineira Elisângela da Silva Cabral, de 26 anos, admitiu que fazia os filhos ajoelharem nos pregos como forma de ''castigo''. Já o companheiro dela, o porteiro Alexsandro Bueno Filho, de 32 anos, disse que ''às vezes'' batia nos enteados com uma corda de náilon. Na casa, foram apreendidos 2 metros de corda, além de cinco tábuas com pregos.Como não houve flagrante, o casal é averiguado e permanece em liberdade. Nesta semana, após o resultados dos exames de corpo de delito, o casal poderá ser indiciado por tortura e maus-tratos. As crianças foram para um abrigo da Prefeitura e estão sob a supervisão do Conselho Tutelar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.