Mãe é presa acusada de tentar vender filho em Minas

Quatro pessoas foram presas em São Lourenço, cidade ao sul de Minas Gerais, acusadas de compra, venda e intermediação de criança, entre elas uma advogada e a mãe de um bebê de 29 dias.O Conselho Tutelar chegou aos acusados através de uma denúncia anônima e impediu que a criança fosse levada para Taubaté, interior de São Paulo. Após encontrarem a mãe em um bairro carente de São Lourenço, o Nossa Senhora de Lourdes, e terem conseguido dela a confissão de venda da criança em troca de alguns benefícios, como cesta básica e dinheiro, os agentes e a polícia militar foram até uma casa no centro da cidade onde encontraram o casal com o bebê, que não teve os nomes revelados.Os três foram levados para a delegacia de polícia da cidade onde prestaram depoimento e foram liberados, mas responderão a processo crime em liberdade. Através dos depoimentos, a polícia localizou a advogada que intermediava a compra, Maria Auxiliadora Scarpa Rodrigues, que também foi detida.Ao ser localizada pelos policiais, ela teria ofendido um policial negro e acabou sendo autuada em flagrante por desacato e preconceito racial. Ela foi levada para a penitenciária feminina Três Corações, em Minas Gerais.A mãe da criança, uma jovem de 20 anos, tem mais quatro filhos e disse que entregaria mais dois deles a outras famílias. No momento da prisão, duas crianças estavam na casa da mãe e foram encaminhadas para um abrigo de menores, juntamente com o bebê. Se for comprovada a tentativa de venda da criança, a mãe do bebê pode perder a guarda do filho. Além disso, ela, a advogada e o casal que tentou comprar o menino podem responder a uma ação criminal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.