Mãe presa em Londres acusada de sequestrar filha volta ao Brasil

Pais da criança brigam na justiça pela guarda da menina de 8 anos

Luciano Bottini Filho - O Estado de S.Paulo,

07 Março 2013 | 18h48

A modelo Fernanda Guiguer Souza, de 29 anos, chegou a Florianópolis (SC) nesta quinta-feira, 7, depois de passar quase quatro meses presa no Reino Unido, acusada de ter sequestrado a filha Rafaely, de 8 anos. Ela foi liberada pela Justiça britânica no dia 15 de fevereiro, segundo a mãe, por falta de provas. A acusação foi feita à polícia pelo pai, o ex-jogador Rafael Isidro Vieira, de 30 anos, que não quis devolver Rafaely depois de um suposto envolvimento da mãe com "prostituição".

"Ela foi passar as férias em Londres, no ano passado, na metade de junho, quando foi que o pai dela disse que ela não voltaria mais. Fiquei por quatro meses sem ter contato com a minha filha, sem ter notícias dela", conta Fernanda. Depois disso, a mãe teria procurado a polícia no Reino Unido e na Itália, até buscar a criança em Londres e ser presa em novembro.

O pai acusa Fernanda de ser uma influência negativa para a filha - a mãe, segundo ele, teve a imagem exposta em websites de garotas de programa. "Nós vamos dar continuação (do processo) aqui também. Eu vou entrar com um processo de calúnia e difamação pelas fotos que meu marido pegou e divulgou".

A mãe foi detida em uma conexão em Londres com o seu noivo, Wagner Santos, enquanto tentavam viajar de avião para o Brasil. Os pais travam um batalha judicial pela guarda da filha na Itália, onde Fernanda morava com Rafaely. No Brasil, onde ocorreu a separação do casal em 2007, a guarda seria da mãe. Segundo Fernanda, após ela e o noivo serem soltos, os dois passaram duas semanas na sua casa em Milão para encaminhar a ação na Itália. "A gente voltou para a nossa casa na Itália, onde a gente tem o processo já de busca de nossa filha desde agosto do ano passado, onde o juiz determinaria que eu tenho a guarda dela, válida aqui no Brasil e na Europa também", disse Fernanda.

A mãe de Rafaely descobriu que estava grávida dentro da prisão e, por isso, ficou em uma ala especial. "Eu fui transferida para um setor diferenciado onde só 20 entre 600 prisioneiros tinham esse privilégio. Todos os funcionários da prisão sabiam do meu caso, sempre vinham conversar comigo, eles acreditavam na minha inocência", afirmou. No Natal e em janeiro, a mãe teve dois sangramentos e não fez outros exames até agora para saber se continua grávida. "Eu ainda não fui ao médico, foi muita correria. Eu acredito que eu tenha perdido o bebê".

Outro lado

Em entrevista à radio Difusora, em Içara (SC), o ex-jogador nega as acusações da mãe de que tenha impedido sua filha de ficar com Fernanda. Sua versão é a de que a menina foi entregue espontaneamente pela mãe e depois retirada contra a vontade da própria filha. Enquanto estava na casa do ex-jogador, a criança teria pedido para não voltar à casa de Fernanda pois a mãe estaria envolvida com "prostituição".

Segundo Vieira, a mãe criou um perfil falso no Facebook, atraiu o irmão do pai e raptou a criança. Naquele período, Rafaely estava com o ex-jogador a pedido da própria mãe por um período de três meses. "Eu estava no Brasil de férias no ano passado e Rafaely estava com a mãe dela na Itália. Ela ligou para mim em maio pedindo para minha irmã ficar com ela por uns três meses. Eu voltei de férias em agosto. Fiquei com a minha filha uns 20 dias e combinei com ela para ela levá-la de vota para a Itália." Foi nessa época que a sua filha teria dito "Pai, eu não quero voltar, porque eu vi coisas erradas na Itália, eu sei o que a minha mãe faz, e por esse motivo eu não quero voltar".

A filha teria relatado a Vieira que viu fotos da mãe nua na internet, em italiano, com sua descrição como "brasileira de pele macia". O ex-jogador alega que procurou amigos na Itália, que o ajudaram a encontrar em websites de agenciamento de programas o perfil da ex-mulher. Depois disso, de acordo com o pai, ele ligou para a mãe para avisar que não aceitava o trabalho dela na presença da filha, que ficaria a partir de então em Londres.

O pai alega que o noivo de Fernanda agrediu seu irmão de 16 anos e, junto com a mãe, levou a filha. Os três atravessaram o Canal da Mancha para a França e de lá partiram para a Itália. Nesse meio tempo, Rafael diz ter procurado a polícia britânica, que deteve a ex-mulher e o noivo em uma conexão em Londres para o Brasil.

Vieira disse que o governo britânico prestou acompanhamento psicológico para filha e que não perceberam nada de errado com a criança.

Mais conteúdo sobre:
Sequestro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.