Mãe reconhece o corpo do filho e exige justiça

A descoberta dos corpos de Celso Gioielo Magalhães Júnior, de 20 anos, e de Anderson do Carmo, de 17, numa cova rasa na estrada municipal do Nhambu, hoje pela manhã em Itanhaém, acabou com o mistério do desaparecimento dos dois, ocorrido no dia 27, quando saíram algemados da casa noturna Casarão, em Mongaguá. Depois de reconhecer o corpo do filho Celso no IML de Praia Grande, dona Arlete Bonavita, exige justiça.Seu drama começou logo depois que os dois rapazes foram presos pela PM. "Ao saber, fui a pé até o Casarão e, no caminho, encontrei uma Blazer da PM e contei o que sabia". Naquele momento, os dois PMs envolvidos no caso informaram que os presos haviam sido encaminhados à delegacia para averiguação. Aí ela passou a temer pela vida do filho e de Anderson, amigo inseparável de Celso."Um dia, o Celso chegou em casa todo ensagüentado e contou que havia apanhado dos policiais Miranda e Silvio", disse dona Arlete. Seu filho pediu para ela não denunciar e ainda lhe disse mais: "se eu morrer, não foi bandido não; é só procurar esses dois PMs".Na sexta-feira, Celso e Anderson foram chamados pelos policiais assim que chegaram ao Casarão. Depois de uma conversa, recusaram a sair com os PMs, quando foram levados ao banheiro e surrados. Algemados, foram colocados no carro da polícia. Dona Arlete conta o que ouviu dos amigos que presenciaram a cena: "os dois eram inseparáveis e, ao entrar no chiqueirinho, começaram a chorar porque sabiam que iam ser executados".Ela soube pela PM que os corpos foram encontrados graças a uma denúncia anônima, mas não crê nessa versão. É que os dois PMs envolvidos estão recolhidos na Corregedoria da PM. "Eles devem ter confessado alguma coisa, porque os bombeiros cavaram no local exato onde os corpos estavam". Outra coisa que a intriga é o fato de, logo depois de prenderem seu filho e o amigo, os policiais se encontraram com um outro carro da PM, um Astra. "Isso precisa ficar esclarecido, pois pode haver mais gente envolvida".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.