Máfia de concurso para Exército e Aeronáutica é investigada

Uma quadrilha de clonadores de cartão de crédito com base na cidade cearense de Crateús, a 401 quilômetros de Fortaleza, pode ser responsável por fraudes em concursos públicos em todo o País. A maioria registrada no Ceará e no Piauí. Também estão sendo apuradas irregularidades nos concursos para sargento da Aeronáutica e Exército em Montes Claros (MG) e Barreiras (BA). Para o promotor de Justiça de Crateús, Ivan Pinheiro Leitão, além das vantagens financeiras advindas com o crime, a fraude de concursos é uma forma de os bandidos se infiltrarem nas instituições. O Ministério Público Militar está investigando o fato e a Procuradoria da Justiça Militar acredita já ter comprovação do golpe nos concursos para sargento. As fraudes estariam ocorrendo desde 1994 e foram denunciadas através de uma carta assinada com o pseudônimo ?Sargento Exceção?. No documento, a pessoa revela como funciona o esquema e diz que pagou R$ 250 e mesmo assim não foi aprovada. Cerca de 50 pessoas foram arroladas até agora ? entre fraudadores e candidatos beneficiados. Seis das quais serão denunciadas pelo Ministério Público Militar (os nomes não foram revelados). Eles são militares do Exército e da Aeronáutica e pediram afastamento depois que os casos foram descobertos. De acordo com o promotor Alexandre José Barros Leal Saraiva, pelo menos 300 pessoas estão envolvidas com o que define como sendo ?máfia dos concursos?.

Agencia Estado,

04 Junho 2003 | 17h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.