AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Maguila, o segurança, frustra a ''''vingança'''' do Homem-Aranha

Famoso mundialmente por escalar prédios, francês foi impedido, pela segunda vez, de se aventurar no Terraço Itália

Laura Diniz, O Estadao de S.Paulo

26 de fevereiro de 2008 | 00h00

Maguila nem precisou de superpoderes para vencer o Homem-Aranha anteontem à noite, no Terraço Itália, centro de São Paulo. Tudo bem, ele rasgou o terno. Mas bastou esticar os braços, alcançar o tornozelo do "herói" e puxá-lo até arrancar-lhe as calças. Foi assim, de forma nada heróica, que o francês Alain Robert, de 45 anos - conhecido como "Homem-Aranha" por escalar os mais famosos prédios do mundo -, foi parar no 3º Distrito. Alerta, Adilson Marques da Silva, de 34, o Maguila, impediu que Robert descesse, pelo lado de fora, sem equipamento de segurança, 41 andares do Itália, um dos edifícios mais altos da capital. Veja galeria de imagens de Robert"Era para ser uma vingança", disse o francês, sem esconder a frustração. Em 1996, ele já tinha tentado escalar o prédio, mas também foi impedido. Desta vez, a idéia era descer pelas paredes e depois subir, porque chamaria menos a atenção do que fazer o inverso. Ocorre que Robert procurou o programa Fantástico, da Rede Globo, para mostrar a aventura ao vivo - e, segundo ele, a parafernália da TV deixou a segurança de orelha em pé. Por meio da Assessoria de Imprensa da Globo, o Fantástico declarou ter sido "informado de que ele tentaria escalar e foi lá para fazer a cobertura jornalística". Para Maguila, o francês facilitou: "Ele ficou andando por aqui durante a tarde. Ele é conhecido. Lembro da cara dele, de quando escalou o prédio da Fiesp na Avenida Paulista."Anteontem, Robert foi detido, depôs e foi liberado. Não se aborreceu com a passagem pela polícia, porque já enfrentou isso "umas 15 ou 20 vezes". Mas não escondeu a bronca por ter falhado de novo. E desdenhou: "Esse prédio é feio e nem é tão alto. Já escalei os cinco maiores edifícios do mundo".Robert concedeu entrevista ao Estado no restaurante Terraço Itália, onde foi pego por Maguila. Da portaria do prédio até a mesa, seguranças não desgrudaram dele um minuto. "Olhe a atitude deste segurança. É um completo idiota. Para mim, isso é um jogo", comentou Robert, sobre o funcionário que não desgrudava os olhos dele.Robert foi correspondido nos "afagos". Para o bombeiro do prédio, José Venâncio, o trabalho do francês é uma "imbecilidade total", por ser feito sem nenhuma segurança. "Imagine se ele pula daqui, cai e morre. Onde fica a imagem do prédio?"ESTILÃOCabelo a la Roberto Carlos, brinco no estilo do cantor brega Luiz Caldas, o francês gosta de couro: jaqueta como a do Crocodilo Dundee, calça azul royal e botas de couro de crocodilo. Esse era o figurino ontem do "herói", que começou a brincar de escalar aos 11 anos, esnobou o diploma de contabilidade e resolveu se profissionalizar como "Homem-Aranha". Ele não gosta muito do apelido, embora admita que ela ajuda na fama - e no dinheiro. Disse que patrocinadores pagam por uma escalada o equivalente a um carro de luxo, mas pediu que o valor não fosse divulgado. Na incursão paulistana, quem bancou a aventura frustrada foi o cassino online Golden Palace.Robert disse que está bem de vida - em 2007, fez 11 apresentações. Além do patrocínio, fatura com propaganda, documentários e palestras. "Falo sobre mim. A mensagem é sobre liberdade e coragem."Robert é casado com a professora Nicole há 20 anos e pai de três filhos. Disse que, para manter a forma, pratica escaladas em casa de três a quatro vezes por semana. Ele planeja se aposentar aos 50 anos e, a partir daí, apenas fazer palestras. Com a confusão, como fica a vingança? "Estou esperando para ver se eles (a administração do prédio) autorizam. Senão, é quase impossível", despistou o francês, que não tem data marcada para deixar o Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.