Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Maia diz que verba para intervenção será do governo federal

Segundo o presidente da Câmara dos Deputados, o ministro da Fazenda Henrique Meirelles 'já deve ter noção do montante de recurso necessário'

Vinicius Neder e Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

17 Fevereiro 2018 | 15h35

RIO - Após participar de reunião com o presidente Michel Temer e o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (MDB), o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que a União terá que aplicar verbas na intervenção federal na área de segurança pública fluminense, decretada na última sexta-feira, 16.

Maia disse que não participou de discussões sobre o financiamento da operação de intervenção, mas que, seu entendimento, é de que, na qualidade de gestor da segurança pública, o governo federal terá que arcar com investimentos.

+++ Entenda o que é uma intervenção federal

+++ Cenário: Exército tem mapa do crime organizado

"O ministro (da Fazenda, Henrique) Meirelles já deve ter noção do montante de recurso necessário", disse Maia. Meirelles participou da reunião, mas, segundo o deputado estadual fluminense Carlos Osório (PSDB-RJ), que também estava no encontro, não tomou a palavra.

Segundo Maia, o orçamento da segurança pública no Rio está em torno de R$ 8 bilhões por ano.

+++ Intervenção será feita de forma 'cooperativa' com o Rio, diz Temer

O presidente da Câmara deu como exemplo os gastos com viaturas das polícias. Conforme o deputado, todo mês, de 20% a 30% das viaturas têm que ser repostas e, em breve, o governo fluminense terá que renovar o contrato com a empresa que faz a manutenção dos veículos. Com a intervenção, seria natural esses gastos passarem para a União.

"A estrutura da segurança será suprida pela união quando estado não tiver dinheiro", afirmou Maia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.