Maioria dos manifestantes desocupa Câmara de Vereadores do Rio

Outras 12 pessoas, de acordo com a Polícia Militar, permanecem no plenário

Antonio Pita / Rio, O Estado de S. Paulo

11 de agosto de 2013 | 12h56

Após 40 horas de ocupação na Câmara de Vereadores do Rio, a maior parte dos manifestantes deixou o prédio na madrugada deste domingo, 11. Por volta de 0h20, cerca de 40 pessoas saíram do Palácio Pedro Ernesto, no Centro, de forma pacífica. A saída aconteceu após uma assembleia que durou quatro horas. Outras 12 pessoas, de acordo com a Polícia Militar, permanecem no plenário da Câmara.

Os manifestantes que deixaram a ocupação divulgaram uma nota sobre o movimento na saída do prédio. No documento, eles afirmam que a eleição para a presidência e relatoria da CPI dos ônibus, na última quinta-feira, 8, "cerceou a participação popular" e "não representa os interesses da população."

A nota ainda acusa o presidente da Casa Jorge Felippe (PMDB) de "despreparo e intransigência", após o fracasso da reunião de negociação com os manifestantes, no sábado, 10. Cinco vereadores e doze manifestantes se reuniram por cerca de uma hora, sem chegar a um acordo sobre as reivindicações do grupo que ocupava o prédio. "A desocupação deliberada em assembleia representa, assim, ato de repúdio a essa postura", diz o documento.

Na sexta-feira, a Câmara elegeu os vereadores Chiquinho Brazão (PMDB) e Professor Uóston (PMDB) para os cargos. Os manifestantes ocuparam a Casa para pressionar os vereadores que integram a Comissão que investiga a concessão do transporte público no Rio. Eles reivindicam que o autor do pedido de CPI, Eliomar Coelho (PSOL), seja escolhido para a presidência e condução das investigações.

Na nota, o grupo convoca os manifestantes para acompanhar a reunião entre os vereadores, na segunda-feira, que irá discutir a pauta do movimento. Eles também prometem acompanhar a primeira sessão da CPI, na próxima terça-feira, 13. "Queremos garantir a anulação da instalação da CPI que elegeu Chiquinho Brazão para a presidência e Professor Uóston para relator".

Desde quinta-feira, cerca de 56 manifestantes ocupavam o plenário do Palácio Pedro Ernesto. Do lado de fora, outros 30 manifestantes fizeram uma vigília em apoio à ocupação, com barracas e colchões colocados na escadaria do prédio. A Polícia Militar acompanhou o movimento durante toda a noite, com seis viaturas paradas em frente à Câmara.

Tudo o que sabemos sobre:
protestoprotestosCPI dos ÔnibusRioRJ

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.