Maioridade penal deve ser debatida sem emoção, diz Dom Claudio

O arcebispo metropolitano de São Paulo, Dom Cláudio Hummes defendeu hoje que a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos, é a questão que tem de ser discutida sem emoções, tanto pela sociedade quanto pelo parlamento. Ele afirmou, que é necessário prevenir a violência, incentivando a educação, o trabalho, o lazer e a cultura, além de garantir apoio à juventude. Ele foi recebido hoje pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio da Alvorada. No encontro, do qual participou também o ministro do Trabalho e Emprego, Jaques Wagner, Lula e Dom Cláudio conversaram sobre propostas para criação de postos de trabalho e combate ao desemprego. À saída, Dom Cláudio disse que fez um relatório sobre as ações que a igreja está desenvolvendo em São Paulo, em parceria com o governo federal, para promoção do emprego. O arcebispo de São Paulo destacou o grande esforço que o governo vem fazendo para retomada do crescimento econômico e disse que, aos poucos, está aumentando o número de postos de trabalho. Dom Cláudio lembrou que outras medidas emergenciais vêm sendo adotadas para combater o desemprego e disse que a Arquidiocese recebe, em média, de 100 a 200 pessoas por dia em cada posto de atendimento. Logo depois do encontro com Dom Cláudio, o presidente Lula embarcou no helicóptero que o levou à Base Aérea de Brasília, de onde seguiu para uma viagem de dois dias à Bolívia, onde participará da 13ª Cúpula Ibero-Americana, na cidade de Santa Cruz de La Sierra. As informações são da Agência Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.