Mais 2 apadrinhados de Matarazzo são trocados

Indicados por ele nas Subprefeituras de Pinheiros e da Vila Prudente são substituídos; secretário só continua no cargo a pedido de José Serra

Diego Zanchetta, O Estadao de S.Paulo

09 de janeiro de 2009 | 00h00

O prefeito Gilberto Kassab (DEM) definiu três novos subprefeitos para as regiões de Pinheiros, Vila Prudente e Pirituba. As mudanças consolidam a perda de poder do secretário de Coordenação das Subprefeituras, Andrea Matarazzo. Das três trocas, duas envolvem indicados por Matarazzo, que não havia sido avisado até ontem sobre as substituições.A principal mudança ocorrerá em Pinheiros, onde a subprefeitura é responsável pela fiscalização da ocupação do solo de áreas nobres da zona oeste, como Jardins e Vila Madalena. Nilton Nachle, apadrinhado de Matarazzo, deixa o cargo para o coronel da PM Nevoral Alves Bucheroni, que já exerce a chefia de gabinete em Pinheiros. Bucheroni é homem de confiança do prefeito. No lugar de Reinaldo Saccoman, da Vila Prudente, outro indicado por Matarazzo, entra o secretário executivo da Sabesp, Wilson Pedroso, ligado ao vereador e líder de governo na Câmara, José Police Neto (PSDB). Em Pirituba, o novo subprefeito é o tucano Ary Fossen, ex-prefeito de Jundiaí. A indicação foi um pedido do governador José Serra (PSDB) ao prefeito. Em menos de um mês, Matarazzo perdeu três de seus apadrinhados em subprefeituras. Em dezembro, já havia saído o titular da Mooca, Eduardo Odloak. O subprefeito foi substituído pelo também coronel da PM Rubens Casado. Outros dois indicados pelo titular da Coordenação das Subprefeituras também devem ser trocados até março: Alexandre Aniz (Ipiranga) e Alexandre Modonezi (Vila Mariana).Espécie de primeiro-ministro da gestão Kassab, Matarazzo começou a perder prestígio no governo a partir das eleições. Além do desgaste pelo atraso no projeto Nova Luz, Matarazzo, vice-presidente do Diretório Municipal do PSDB, não participou da campanha à reeleição como outros secretários tucanos.Procurada por volta das 20h, a assessoria de Matarazzo informou não ter localizado o secretário para comentar as mudanças. Ele só continua no cargo devido a pedido de Serra ao prefeito.LIXOA gestão Kassab vai reavaliar os contratos de R$ 13 bilhões da Secretaria Municipal de Serviços e "adequá-los ao novo orçamento da cidade". Por meio de portaria publicada ontem no Diário Oficial da Cidade, o governo nomeou um grupo para estudar os contratos da pasta, o que inclui a coleta de lixo, a varrição e a iluminação pública. Kassab não descarta uma redução nos R$ 10 bilhões do contrato do lixo, o maior da história de São Paulo.O prefeito confirmou ao Estado a possibilidade de reduzir os valores dos contratos do lixo, cuja concessão de 20 anos, ratificada na gestão anterior, é contestada na Justiça desde 2005. A redução faz parte do contingenciamento de R$ 1,5 bilhão que o governo deve fazer no orçamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.