Mais 23 casos de contaminação por chumbo em Bauru

Já somam 186 os moradores da região onde funcionava o setor metalúrgico da Indústria de Acumuladores Ajax contaminados por chumbo em níveis superiores ao índice máximo de dez miligramas por decilitro de sangue, previsto pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A vigilância sanitária do Estado divulgou hoje os resultados dos exames realizados pelo Instituto Adolfo Lutz em amostras de sangue colhidas de 82 pessoas e, destas, 23 apresentavam a contaminação que pode levar ao saturnismo e a outros males.Entre os casos confirmados até agora, está o de uma criança com 90 miligramas, que se encontra internada no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu. Os demais vêm recebendo atendimento da equipe multidisciplinar montada em Bauru, na sede do Hospital de Recuperação de Lesões Craniofaciais da USP. Boa parte deles já passou por avaliações e agora os médicos decidirão qual o encaminhamento, pois, se por um lado o chumbo é prejudicial, o tratamento para a sua extração do organismo traz problemas renais.Ao mesmo tempo em que as equipes de saúde encaminham as pessoas contaminadas, a Cetesb - que interditou a área metalúrgica da fábrica em janeiro - está agora analisando amostras do solo para determinar a quantidade de chumbo no local e oferecer elementos que indicarão a necessidade ou não da remoção da população, superior a 5 mil pessoas, localizada na área de risco. O Ministério Público do Trabalho também realiza gestões para verificar as condições dos empregados da área interditada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.