Mais 25 cargas de lixo inglês são achadas em Santos

A Receita Federal identificou mais 25 contêineres no Porto de Santos carregado com lixo doméstico vindo da Inglaterra. Na semana passada, foram encontrados outros 16 carregamentos com 290 toneladas de material. A Polícia Federal instaurou inquérito e as investigações apontam para o indício de que o crime vinha sendo praticado havia mais tempo do que se imaginava. De acordo com delegado Luís Carlos de Oliveira, lixo estrangeiro já era recebido em contêineres que desembarcavam teoricamente vazios. O titular da Delegacia Marítima (Depom) da PF ressalta, no entanto, que o assunto nunca veio à tona porque a quantidade de lixo encontrada era pequena. "Uma coisa que eu posso assegurar é que a PF jamais teve conhecimento disso", afirmou. Agora, ele trabalha para devolver o material à Inglaterra. A PF começa a considerar também a possibilidade de existir diferentes mercadorias misturadas ao lixo - talvez eletrônicos. A suspeita surgiu por causa do valor da carga, considerado alto. Com documentação falsa, a mercadoria tentou entrar no País como se fosse plástico reciclável. "Está muito estranho essa carga custar R$ 200 mil", explicou Oliveira. Os 25 contêineres, considerados abandonados, chegaram ao porto em novembro e permaneceram no Terminal Local Frio, no Guarujá. A Receita resolveu verificar o conteúdo na terça-feira, quando achou lixo doméstico, como ocorreu na semana passada. As coincidências não pararam por aí: além da origem inglesa, embora a empresa importadora seja diferente da que trouxe os outros 16 contêineres, ambas são de Bento Gonçalves (RS). A PF começou a desconfiar de que o crime não foi caso isolado e que há atuação de uma quadrilha. Na segunda-feira, técnicos do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama) vão ao terminal vistoriar a carga e aplicar as penalidades. A importadora e a transportadora da carga localizada na semana passada receberam multas de R$ 155 mil. "O Brasil é signatário da Convenção de Basileia, que foi feita para evitar que os países mandem lixo um para o outro", explicou na ocasião da multa a chefe do escritório regional do Ibama em Santos, Ingrid Maria Furlan Oberg. A identificação dos contêineres com lixo é resultado de uma operação da Receita iniciada após a Alfândega do Porto de Rio Grande ter apreendido, no fim de junho, 40 contêineres com lixo da Inglaterra.

Rejane Lima, SANTOS, O Estadao de S.Paulo

17 Julho 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.