Mais 4 acidentes, sem mortos, depois do Tona Galea

Depois que a escuna Tona Galea afundou em Cabo Frio, na Região dos Lagos, e uma traineira naufragou na Baía de Ilha Grande, no litoral sul fluminense, no sábado, mais quatro acidentes foram registrados nesta segunda-feira com embarcações. Uma lancha virou e outros três barcos ficaram à deriva, com o motor parado.Segundo o comandante das Unidades Especializadas dos Bombeiros, coronel Marcos Silva, isso é ?normal? e, na maioria das vezes, as pessoas ficam ilhadas em mar aberto por inexperiência. ?A manutenção dos barcos é coisa séria.?Por volta de 10 horas, os bombeiros resgataram Kinout Alves, de 72 anos, depois que sua lancha virou no Canal de Marapendi, na Barra da Tijuca, zona oeste. ?Ele não se machucou, mas ficou assustado com a queda?, disse o bombeiro Ângelo Borges Lacerda. Segundo Lacerda, Alves contou que foi surpreendido por uma onda forte.No início da tarde, a lancha Suhel foi resgatada perto da praia do Leme, na zona sul. Segundo o coronel Marcos Silva, o dono da embarcação foi identificado apenas como Ivo. Com ele, estavam um homem e uma mulher. A causa do incidente foi pane no motor. Ninguém se feriu.Um problema mecânico também deixou à deriva a traineira Arca de Noé e seus três tripulantes. Silva contou que o dono do barco, Jorge Francisco Coelho, de 43 anos, teve de nadar por três horas até a Praia da Restinga de Marambaia, na zona oeste, para pedir ajuda. O Grupamento Marítimo usou um helicóptero para tirar do barco Francisco Paulo Silva, de 45 anos, e Maurício Barreto, de 41.No fim da tarde, em Búzios, foram resgatados duas mulheres e um homem que estavam numa lancha à deriva e pediram socorro aos bombeiros pelo rádio da embarcação. Eles estavam próximos da Praia do Forno e foram socorridos em meia hora, sem nenhum ferimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.