Mais 4 Estados aderem ao Sistema Único de Segurança Pública

Mais quatro Estados - Santa Catarina, Alagoas, Piauí e Rio Grande do Norte - vão aderir esta semana ao Sistema Único de Segurança Pública (Susp) criado pelo Ministério da Justiça com o objetivo principal de combater o crime organizado no País. Com isso, sobe para oito o número de unidades da Federação que aderiram ao programa. Os primeiros foram Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.Hoje, o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, e o secretário nacional de Segurança Pública, Luiz Eduardo Soares, irão a Florianópolis assinar, às 10h, o convênio do Susp com o governador de Santa Catarina, Luiz Henrique.Na quarta-feira, Bastos e Soares irão a Maceió, Natal e Teresina formalizar a adesão dos governadores Ronaldo Lessa (AL), Wilma de Faria (RN) e Wellington Dias (PI). Na sexta-feira, às 11h, assinarão protocolo de intenções com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.O Susp foi concebido com o objetivo de integrar as ações das polícias nas três esferas do Poder Executivo. Em todos os Estados que aderirem ao programa serão criados Comitês de Gestão Integrada, do qual fazem parte o secretário estadual de Segurança Pública, como coordenador, e mais representantes da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Civil e guardas municipais. A intenção é contar também com a cooperação ativa do Ministério Público e do Poder Judiciário.Caberá a esse comitê definir de forma consensual ações, principalmente no combate ao crime organizado (tráfico de drogas e de armas, contrabando, lavagem de dinheiro, pirataria). Todas as decisões do comitê estadual serão repassadas a um comitê gestor nacional. Com isso, experiências bem sucedidas de uma localidade poderão ser implantadas em outra. O comitê também definirá as prioridades para investimentos federais na área de segurança pública no Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.