Mais cinco policiais optam por fazer delação

Mais cinco policiais militares resolveram aceitar a delação premiada. A revelação foi feita ontem pelo coronel Wagner Cesar Gomes de Oliveira Tavares Pinto, comandante da região de Guarulhos. Todos eles trabalhavam no 31º Batalhão da Polícia Militar e corroboraram as denúncias feitas pelo primeiro-tenente Antonio Domingos de Souza Neto.Os novos policiais que receberam o benefício da delação premiada são todos sargentos e cabos da unidade que era comandada pela tenente-coronel Elizabete Soliman. "Ninguém foi condenado. Por enquanto, a tenente-coronel e os demais são apenas pessoas investigadas", afirmou o coronel César.Segundo ele, são investigados os crimes de concussão, corrupção, prevaricação e peculato. Além de arrecadar propina da máfia do jogo e dos perueiros clandestinos, policiais do 31º Batalhão também fariam agiotagem e desviariam cargas roubadas apreendidas. Os responsáveis pelos inquéritos policiais militares do caso pretendem identificar nesta semana os donos das cargas que foram roubadas na região das Rodovias Dutra e Ayrton Senna. "Eles apreendiam cargas roubadas e parte da mercadoria era desviada. Nesse caso, não há envolvimento da tenente-coronel", afirmou César. Segundo ele, as suspeitas contra a tenente-coronel são de corrupção e prevaricação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.