Mais de 100 mil visitam Igreja de São Jorge no feriado no Rio

Uma multidão de fiéis visitou durante todo esta terça-feira de feriado municipal a Igreja de São Jorge, no centro do Rio. O irmão-ministro da Venerável Companhia dos Santos Mártires São Gonçalo Garcia e São Jorge, Jorge de Aguiar, estimou entre 120 mil e 130 mil o número de pessoas que deve passar pelo local. Três vezes mais do que em outros anos.A maioria vestia roupas vermelhas e brancas, cores do santo guerreiro. Uma delas, Eliane de Almeida, de 34 anos, há três visita a igreja em 23 de abril na companhia dos quatro filhos pequenos. Um deles, Karen, de 7, faz aniversário no dia dedicada ao santo. "Fiz promessa para que São Jorge não deixe faltar nada para a minha filha."Quem não gostou do feriado municipal, criado por lei do vereador Jorge Babu (PT), foram os comerciantes. O Sindicato dos Lojistas do Município do Rio entrou com mandado de segurança na 9ª Vara de Fazenda Pública tentando impedir o feriado. O sindicato alegou perdas de R$ 370 milhões, mas a Justiça não deu ganho de causa.Para Jorge de Aguiar, o fato de o Dia de São Jorge ter sido transformado em feriado não fez diferença. "O devoto comparece de qualquer jeito." Eliane não concordou: "Preferia antes. Vinha menos gente." Zelândia Farias do Rosário, de 72 anos, comparece à igreja há 45 anos. "Eu tenho recebido muitas graças. Meus dois filhos se formaram e eu consegui comprar um apartamento em Copacabana."Do lado de fora, a fila passava de um quilômetro e os fiéis esperavam até quatro horas pelo momento de ver de perto a imagem de São Jorge, montado no cavalo branco, e de orar tendo nas mãos a ponta de uma das fitas vermelhas amarradas à estátua.Nas ruas em volta, barracas improvisadas e ambulantes vendiam de tudo: churrasco, cerveja, flores, medalhinhas do santo e até brinquedos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.