REUTERS/Nacho Doce
REUTERS/Nacho Doce

Mais de 270 venezuelanos serão transferidos de Roraima para seis Estados nesta semana

Grupo embarcará a partir desta terça-feira em Boa Vista com destino a Manaus, João Pessoa, São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e o município de Goioerê, no interior do Paraná

Paulo Roberto Netto, O Estado de S.Paulo

28 Agosto 2018 | 01h58

SÃO PAULO - Mais de 270 venezuelanos abrigados em Roraima devem ser transferidos nesta semana para seis cidades do país em nova etapa do processo de interiorização conduzido pelo governo federal. Parte dos imigrantes embarcarão às 8h desta terça-feira, 28, em Boa Vista, em aviões da Força Aérea Brasileira (FAB).

De acordo com a Casa Civil, 63 venezuelanos serão transportados nesta terça para Manaus, 71 para João Pessoa e 55 para São Paulo. Na quinta-feira, 30, 60 pessoas embarcam para Goioerê, no noroeste do Paraná e a 530 quilômetros de Curitiba, 25 para o Rio de Janeiro e quatro para Brasília. Ao todo, serão 278 imigrantes transportados nesta semana.  O governo afirma que, por se tratar de um programa voluntário, as famílias podem desistir do processo e os números serem alterados antes do embarque.

Todos os venezuelanos foram submetidos a exames de saúde, vacinação e regularização no País, incluindo a emissão de CPF e carteira de trabalho, informa o governo.

Desde abril, o programa de interiorização transferiu 820 imigrantes a sete cidades do país: São Paulo (287), Cuiabá (119), Manaus (165), Rio de Janeiro (86), Igarassu, na região metropolitana de Recife (69), Brasília (50) e Conde, região metropolitana de João Pessoa (44). Estimativas da Casa Civil indicam que em setembro, 400 venezuelanos serão transportados semanalmente.

Dois destinos serão Esteio e Canoas, ambas na região metropolitana de Porto Alegre. Na última sexta-feira, 24, o governo federal e as duas prefeituras assinaram termos de compromisso que garantem repasses de R$ 1,5 milhão da União, nos quais R$ 530 mil serão destinados a Esteio e R$1,02 milhão a Canoas. Em contrapartida, as cidades abrigarão cerca de 600 venezuelanos que serão transferidos entre os dias 6 e 18 de setembro, informa a ONU Brasil.

Os custeios de alugueis referentes aos imóveis nos quais os imigrantes serão hospedados serão pagos pela Agência das Organizações das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) enquanto as prefeituras locais deverão providenciar acesso à saúde e assistência social aos venezuelanos a partir do montante repassado pelo governo federal. A alimentação será operacionalizada pelas Forças Armadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.