Mais de 500 pessoas acompanham enterro de brasileiros mortos na Itália

Vítima de uma enchente em Sardenha, família foi sepultada na cidade paulista de Divinolândia

Rene Moreira, Especial para o Estado

04 Dezembro 2013 | 21h58

Mais de 500 pessoas acompanharam no início da noite desta quarta-feira, dia 4, o sepultamento dos brasileiros mortos na enchente que atingiu a região da Sardenha, na Itália, no mês passado. Os corpos foram velados no ginásio de Divinolândia, no interior paulista, que ficou cheio de coroas de flores e outras homenagens. Uma família inteira morreu afogada dentro de casa.

Os caixões do pai, da mãe e dos dois filhos foram velados por três horas, cobertos com as bandeiras do Brasil e da Itália. Eles ficaram lacrados a pedido de parentes. Depois, foram levados para o cemitério da cidade. Morreram o agricultor Izael Pessoni, de 42 anos, sua mulher Cleide Mara, de 39 anos, o filho Weriston, de 21, e a filha Laine Kellen, de 17.

Eles dormiam no porão de uma casa quando houve a enchente e a água subiu muito rápido. O governo da ilha onde residiam arcou com a despesa do traslado dos corpos para o Brasil, já que três das quatro vítimas também tinham cidadania italiana. A família se preparava para voltar a morar no Brasil no ano que vem.

Mais conteúdo sobre:
enterroItália

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.